Mudança de país, mudança de vida…

Recebeu um convite para estudar ou trabalhar em outro país? 

Aproveite a oportunidade de experimentar uma nova cultura e aprender uma nova língua! 

As estações da vida mudam! A vida nos traz muitas vezes mudanças radicais como trabalhar ou estudar em outro país, desempenhar serviços humanitários, ongues, agências missionárias, políticos ou militares em situações específicas. Nem sempre estamos preparados para enfrentar as diferenças culturais, linguísticas, religiosa, costumes, alimentação, entre outras. Os preparos são muitos: documentos específicos, visto de entrada no país, seleção do que vai levar, do que vai deixar e do que vai se desfazer, desmanche da casa e pertences, despedidas. Todos os preparativos “burocráticos” e organizacionais vêm acompanhados de fortes e diferentes emoções, surpresas inesperadas, sentimentos de alegria pela novidade e ao mesmo tempo medo do desconhecido.

A área do cuidado e atendimento de pessoas e famílias em situação de mudança de país, permanência ou de retorno ao país de origem é relativamente nova e complexa. Muitas vezes vão com 2 malas cada um! Apenas isto! Precisarão montar uma nova casa, escolher escola para os filhos, aprender a nova língua, conhecer pessoas diferentes em todos os sentidos e muitas outras coisas. Tudo isto em meio ao choque cultural e seu processo de adaptação.

O dia da partida chegou, despedidas aconteceram no aeroporto e eles agora estão em outro país! Mas como realmente eles estão? Nosso papel enquanto profissionais da área do cuidado é tanto acompanhar e auxiliar a pessoa, sua família, filhos na caminhada emocional e relacional em todo seu percurso desde o momento que ele chega até nós antes da partida, quanto durante sua estadia no país estrangeiro. Acompanhamos suas adaptações e necessidades de orientações específicas, bem como preparo para a sua volta ao país natal. Todas as questões “externas” relativas ao processo de ida, de chegada no país e retorno à terra natal desencadeiam muitas questões “internas”: inseguranças, desafios, decisões, conflitos, posicionamentos, medos, mudanças, o novo, questionamentos e incompreensões. Todas estas emoções geram um luto pelas diversas perdas.

Cada pessoa envolvida em uma mudança de país, seja por qual motivo for, necessita lidar com suas questões emocionais e relacionais para seguir tranquilo e mais preparado para enfrentar os desafios que toda mudança transcultural desencadeia. É importante que o profissional que vai acompanhar a pessoa ou família tenha experiência transcultural e conhecimento da complexidade emocional, social, física, cognitiva e também espiritual que envolve se mudar e viver em outro país.

Lea Rocha Lima e Marcondes